Publicado em:29/09/2014 por Luiz Flavio Gomes
Como ganhar mais de US$ 30 mil por ano

Em 1954, a renda per capita anual da Coreia do Sul era de US$ 70 (101ª do mundo; o Brasil era o dobro). Saída da guerra com a Coreia do Norte (1950-1953) e sem recursos naturais, era mais pobre que os países africanos. Em 1960, a renda nossa era de US$ 208 (contra US$ 155 da Coreia do Sul).

 

MacArthur (general americano) disse: "A Coreia não tem futuro. Levará mais de um século para reconstruir-se". Nos anos 60 ela exportava somente pescados e perucas (M. Troyjo, Folha 26/9/14: A16). Em 2014, a sua renda per capita é três vezes maior que a do Brasil (mais de US$ 30 mil anuais). De 1940 a 1990 passou de país pobre para país rico e civilizado.

 

Como ela virou o jogo? Educação, sacrifício familiar [ético] pela geração seguinte e o país, planejamento, política industrial, conglomerados multissetoriais (veja Marcos Troyjo em Folha 26/9/14: A16). Não se vê isso no Brasil (nem muita educação nem muita ética). Muito menos redistribuição da renda (aqui reside a peste-mor do Brasil).

 

A média de escolaridade da Coreia do Sul é de 11,8 anos (em 2013), contra 7,2 anos do brasileiro (Brasil é igual Zimbábue - veja IDH de 2014). Em 2010, 45% dos sul-coreanos tinham ensino médio (completo/incompleto); 42% com curso superior (completo/incompleto). Brasil: 44% e 8% (respectivamente).

 

O Brasil (sem cidadania plena, sem tecnologia evoluída, com educação precaríssima) segue caminho muito mais lento. Em 1950, apenas 0,7% da população tinham ensino superior completo ou incompleto. Em 2010, apenas 8% (fonte: Barros-Lee). Pior: a qualidade do ensino aqui é muito inferior à da Coreia do Sul (1ª colocada nos rankings do exame Pisa).

 

Entre a população com 20 a 24 anos, a principal entre os estudantes do ensino terciário (superior), o crescimento sul-coreano (maior do mundo) foi estrondoso, passando de 2,6% em 1960 para 92% em 2010 entre os que tinham ensino superior completo ou incompleto (Brasil: 0,6% em 1960 e 12,4% em 2010, respectivamente) (Fonte: Barros-Lee).

 

Em 20 países, Coreia do Sul é o 4º em registro de patentes (contra 19ª posição do Brasil - veja WPO-ONU, 2014). Em 122 países, Coreia do Sul é a 1ª em velocidade da internet (Brasil: 84ª posição - veja State of Internet, 2014); lá 4,2% do PIB se gasta em pesquisa e desenvolvimento (contra 1% do PIB no Brasil). Ela é o 15º país no IDH (Brasil o 95º, computando a desigualdade).

 

Ela agora, depois do "Milagre do Rio Han", está indo para design, moda, computação em nuvem e entretenimento. Nós nunca fomos mais que um cartório exportador decommodities (produtos primários e muito extrativismo parasitário). Tecnologicamente continuamos atrasados e socialmente somos bárbaros (a desigualdade brutal nos acompanha).

Destaques do Wikijuris

Mestre em Direito, Mestre em Filosofia, Doutora em

Jurista e coeditor do portal atualidades do direito.com.br. Estou ao vivo no portal e TVAD.

Médico - Cirurgião Plástico, trabalha no Centro de Cirurgia Plástica & Estética Médica

Dra. Maria Isabel Pereira da Costa Advogada Sócia Diretora Graduada em Ciências Jurídicas e Sociais pela UNISINOS/RS Especialista em Direito Civil Mestre em Direito Público Graduada em Ciências Físicas e Biológicas pela UFRGS Doutoranda em Direito Público Internacional, em Lisboa Juíza de Direito aposentada Foi professora da PUCRS e da Escola Superior de Magistratura; Vice Diretora da Faculdade de Direito da PUCRS no período de 2007/2008; professora da UNISINOS/RS E ULBRA/RS; Diretora do Departamento de Assuntos Constitucionais e Legislativos da AJURIS em 2000/2001; Assessora Especial da Presidência da AJURIS em 2002/2003; Diretora do Departamento Extraordinário da Previdência dos Magistrados e Pensionistas da AJURIS; Diretora da Secretaria para assuntos previdenciários da AMB. Atualmente Vice Presidente da ANAMAGES; Diretora do Departamento de Direito Processual Civil do IARGS e segunda Tesoureira do IARGS.

Mestre em Direito Público pela Universidade do Va

Todos os Direitos Reservados